Assembleia e paralisação de 24h no dia 1º marcam dia de luta dos servidores da UFBA

Cerca de 300 servidores técnico-administrativos da UFBA convocados pela ASSUFBA Sindicato, ocuparam a reitoria da UFBA, na manhã da quinta (1) para fazer um protesto irreverente e histórico em defesa dos Turnos Contínuos e contra a retirada de uma vantagem pessoal dos rendimentos de 1031 servidores, entre ativos e aposentados. O ato marcou também os 31 anos de trajetória da ASSUFBA.

Durante a manifestação foi encenada uma peça teatral em pleno saguão da reitoria, chamando a atenção de quem passava pelo local, no Canela. Muita música também marcou o ato. Em seguida, foi realizada uma assembleia, onde numa votação por unanimidade, o sindicato vai representar a categoria entrando com um Mandado de Segurança contra o governo federal por retirar uma vantagem pessoal de 1031 servidores no estado.

Foto: Amério B. Barros

“Essa é uma medida arbitrária que retira da nossa categoria uma vantagem que existe nos rendimentos desde 1988, portanto, há 23 anos. Vamos pegar os avisos que a categoria vem recebendo para anexar no processo”, explicou a coordenadora geral da ASSUFBA Sindicato, Nadja Rabello.

Turnos Contínuos

O dia de paralisação é também em defesa da Campanha pelos Turnos Contínuos, que vai permitir o funcionamento da Universidade nos três turnos, ou seja, com a prestação ininterrupta de serviços à comunidade. “Queremos garantir uma melhor prestação de serviços, já que a sociedade vai contar com a continuidade do atendimento, e também estaremos beneficiando nosso servidor com mais qualidade de vida. Mais tempo para estudar, se qualificar, porque estará executando suas atividades em turnos de 6h”, ressalta Renato Jorge Pinto, coordenador geral do Sindicato.

Outra questão amplamente avaliada e discutida pela categoria durante a paralisação e na assembleia foi a aprovação no Senado, no último dia 23/11, da EBSERH ( Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) que vai administrar a partir de agora os hospitais universitários federais. “Entendemos que essa medida vai afetar e muito a nossa categoria. o projeto coloca em extinção mais de mil postos de trabalho nos HUs, já que não haverá mais concurso via RJU – Regime Jurídico Único. Ou seja, no mesmo hospital, dois tipos distintos de vínculo, carreira e salários. Uma experiência já vivida no passado, quando imperava uma anarquia administrativa”, argumenta Cássia Virginia Maciel, coordenadora de Comunicação da ASSUFBA Sindicato.

31anos

Foto: Amério B. Barros

A categoria comemorou também no dia de paralisação com um enorme bolo de aniversário, o aniversário de 31 anos da ASSUFBA Sindicato. “Essa data é histórica para o nosso sindicato, marca a trajetória de intensa luta em defesa dos interesses da categoria e não poderíamos comemorar de outra maneira que não fosse num dia como este com os servidores, numa intensa agenda de lutas, como as que estamos empreendendo agora contra a retirada de direitos em nossos rendimentos e pela defesa do revezamento de turnos na Universidade”, conclui Renato Jorge Pinto, coordenador geral da ASSUFBA Sindicato.

02/12/2011
Ascom ASSUFBA Sindicato