Em assembleia, servidores usuários da Promédica tratam da situação do plano, aprovam por unanimidade reajuste de 13%, além de um conjunto de ações

Na manhã desta quinta-feira (22/03), a ASSUFBA reuniu os usuários da Promédica, em assembleia, na sede da entidade, para dar informes sobre o plano de saúde, cujo aniversário do contrato é 1º de março de 2018. Os servidores aprovaram, por unanimidade, um conjunto de ações a serem tomadas.

O Coordenador Geral, Renato Jorge, iniciou a atividade fazendo uma apresentação sobre a situação da Promédica, em relação à sinistralidade.

Indicadores de utilização:

  • Índice de sinistralidade………………………. 84,12%
  • Total de utilização……………………………….R$7.438.000
  • 15 associados utilizaram ……………………..R$3.056.000
  • 183 associados utilizaram…………………….R$2.858.000
  • Demais associados utilizaram………………. R$1.524.000
IMG_0055

A partir dessa apresentação, foi possível explicar o percentual utilizado para o reajuste do plano, uma vez que o IGPM, índice que norteia o reajuste do contrato foi de 0%, mas foi a sinistralidade que impactou negativamente no índice de reajuste, com as utilizações indevidas e as liminares na Justiça.

Renato pontuou o absurdo que é o custo elevado provocado por quatro pessoas que entraram através de liminares em clínicas de obesidade. Só neste período, quatro associados utilizaram 637.000 (Seiscentos e trinta e sete mil reais), 6% da utilização total, apesar da Promédica disponibilizar o Programa de Tratamento de Obesidade, com equipe multidisciplinar. Sem o impacto dessa utilização a sinistralidade seria de 78% em vez de 84%, permitindo um reajuste em torno de 4%.

Também foi abordada a questão da inadimplência, que tem impactado negativamente. Inclusive, é a primeira vez que a ASSUFBA não consegue quitar a fatura, em função dos débitos.  Vale ressaltar que foi informado na reunião que a empresa contratada vai notificar os devedores em atraso, para posteriormente, caso não seja efetuado o pagamento, proceder a exclusão do plano.

Reajuste
Em relação ao reajuste, a ASSUFBA apresentou algumas informações de mercado. A variação média do VCMH (Variação de Custo Médico Hospitalar), índice que norteia o cálculo dos reajustes das operadoras, gira em torno de 20%, independentemente da sinistralidade.

Negociação
Em negociação conjunta com a Promédica e a empresa gestora da cobrança, a ASSUFBA negociou o impacto final e total de 13%, vigorando apenas a partir do início de abril, apesar da data base ser em março, trazendo uma economia de aproximadamente R$75 mil para os usuários.

Comissão

Também por unanimidade, foi aprovada a criação de uma comissão que acompanhará, junto com a Coordenação de Administração e Finanças, o contrato da Promédica. Membros  da Comissão da Coordenação: Renato Jorge Pinto, Antonio Valter, Devanice Ribeiro Guimarães, Antonio  Bomfim Moreira e José Gomes. Membros da base: João Bosco, Maria de Lourdes Pereira Santos, Marcio Cleber Ramos Silva e Aurélio Avelar dos Santos. Ficou também acertado que haverá uma nova assembléia dos usuários com a direção da Promédica para tratar da rede credenciada.

 

Post a comment