Integrantes do Lote de Renilda da Silva Daltro recebem da ASSUFBA informações sobre o processo

A ASSUFBA realiza rodada de reuniões para tratar do processo de 30 Horas. Nesta quarta-feira (14/09), os Coordenadores Gerais da ASSUFBA, Renato Jorge e Nadja Rabello, e o advogado do Sindicato, Dr. Hugo Leonardo, prestaram informações sobre o Lote de Renilda da Silva Daltro durante reunião virtual.

Hugo Leonardo explicou que após sentença homologatória dos cálculos dos(as) substituídos(as), em 2018, a UFBA interpôs Recurso de Revista, que foi negado pelo juiz Alcino Barbosa de Felizola Soares. A Universidade Federal da Bahia então ingressou com Agravo de Instrumento. A ASSUFBA aguarda agora o julgamento.

O advogado lembrou ainda que a matéria já foi examinada e julgada pelo próprio TRT (Tribunal Regional do Trabalho). Ou seja, o que a UFBA tem feito é usar artifícios protelatórios. Opinião compartilhada pela Coordenadora Nadja Rabello. “A instituição tem utilizado todas as ferramentas possíveis para atrasar o pagamento”, disse.

Renato Jorge esclareceu para os(as) servidores(as) que, em função da Lei dos Precatórios, que mudou a forma de pagamentos, é necessários que os(as) substituídos(as) atualizem os dados junto ao Setor Jurídico da ASSUFBA através do e-mail juridicoassufba@gmail.com ou Whatsapp, (71) 98205-2107, falar com a secretária Luma Assis.

A Lei dos Precatórios estabeleceu ainda que as pessoas com 60 anos ou mais e portadores de doenças graves e deficiências física ou mental têm prioridade na tramitação de processos.

Além do Lote de Renilda da Silva Daltro, que contempla 120 pessoas, a Coordenação da ASSUFBA também deu informes sobre as ações coletivas movidas pela entidade. Nadja e Renato salientaram ainda que todos os processos são acompanhados diariamente e que o Sindicato está à disposição da categoria para esclarecer possíveis dúvidas.